Bolo de Cenoura recheado com Nutella

Taís: Adorei!!! Só que ficou com muita nutella …
Pequeno: Impossível ter muita nutella!
Taís: Tem mesmo, prova.
Pequeno: É … tem muita nutella.

Nutella ser algo em exagero soa errado, mas a verdade é essa, foi demais. De forma alguma isso estragou o bolo, mas ficou mais uma sobremesa do que um bolo para o chá das 17h. 

A idéia de usar nutella não foi minha. Resolvi fazer esse bolo quando vi um post da Patrícia do Technicolor Kitchen, que faz um doce melhor que o outro. Fica difícil não se inspirar. 

Esse foi meu primeiro bolo de cenoura que deu certo. Ficou úmido, fofo … nada de bolo abatumado!

300g de açúcar cristal
300g de farinha de trigo
3 ovos
300ml de óleo (usei o de milho)
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
1 colher de sobremesa de fermento
1 pitada de sal
300g de cenoura (umas 4 cenouras médias)
350g de nutella (se quiser o “bolo sobremesa”, senão 200g serão suficientes)

Bata as cenouras com o óleo no liquidificador, reserve. Na batedeira, bata a açúcar com os ovos por alguns minutos e depois acrescente a mistura de óleo e cenoura. Coloque a farinha de pouco em pouco. Por último adicione o sal, o fermento e o bicarbonato. Despeje metade da mistura em uma forma untada e enfarinhada. Espalhe colheradas de nutella sobre a massa e sobre elas, despeje a segunda parte da massa do bolo. Asse em fogo baixo por aproximadamente 45 minutos. Si degusti!

Salada de Vazio e Tomate Seco

Coloco a panela de ferro sobre o fogo e deixo aquecer. Salgo um pedaço de vazio, tempero com um pouco de pimenta e cominho. Despejo alguns fios de óleo na panela, jogo 3 dentes de alho nele, coloco a carne nessa chapa de ferro quentíssima e espero. Viro de lado, espero denovo. Lavo algumas folhas verdes, tempero com sal e azeite de oliva, pego alguns tomates secos, arrumo no prato e preparo a câmera. Carne pronta, fatio ela em pequenas tiras, coloco no prato. Corto um limão ao meio, pingo algumas gotas sobre a carne e as folhas verdes. Tiro algumas fotos, largo a câmera e vou comer. Devoro tudo. Escolho a foto, posto. É o fim da segunda. Si degusti!

Queijo coalho picante

O que um toque diferente não faz ? 

Juntei 4 folhas pequenas de sálvia, um punhado generoso de salsa e mais um de cebolinha, um dente de alho grande e levei tudo ao processador com 3/4 de uma xícara de chá de azeite de oliva. Triturei. Você pode fazer usando um liquidificador ou até a mão mesmo, picando tudo bem pequeno e amassando o alho. O ideal seria fazer isso um dia antes de usar, mas se não puder, tente deixar descansando ao menos uma hora – assim o azeite pega mais o sabor dos temperos. Essa receita, mesmo não sendo em mesmas proporções não é novidade no blog, se interessar pode ver mais aqui.

Cortei 3 pimentas dedo de moça ao meio, retirei as sementes e coloquei sobre o grill para tostar. Você pode usar qualquer superfície antiaderente para fazer, então se tiver uma frigideira, vai servir. Depois de levemente tostada, coloquei em um prato com algumas poucas gotas de azeite de oliva para descansarem.

Ervas prontas, pimenta pronta … só faltava o queijo. Tostei ele no grill sem nenhuma gota de óleo. Quando pronto, dispus no prato, reguei com as ervas e salpiquei com a pimenta. Si degusti!

Salada ao molho de gorgonzola e manjericão

Dificilmente como saladas com molho, o normal é apenas um salzinho, azeite de oliva ou com vinagre de vinho. Mas decidi fazer algo diferente.

Confesso que como o radicchio é amargo, acabou não sendo a melhor opção de folhas para esse molho, em contrapartida, com o tomate cereja ficou perfeito! No fim das contas, ainda sobrou um pouco, então tostei uns pãezinhos e cobri com o molho, ficou bem gostoso. 

Para a salada:
folhas de radicchio
tomates cereja
sal e azeite de oliva a gosto

Para o molho:
50g de gorgonzola
50ml de leite
10 folhas pequenas de manjericão
um pitada de açúcar

Lave a salada, tempere com um pouquinho de sal (pouco mesmo, ou nada se preferir, pois o gorgonzola do molho já será salgado) e reserve. Bata todos ingredientes do molho em um liquidificador ou processador e despeje sobre a salada. Si degusti!

O que Einstein disse a seu cozinheiro

Chamaria também de “o guia dos curiosos na cozinha”. Fora algumas receitinhas o livro é todo em formato de perguntas e respostas do tipo: “será que o calor pode chegar a fritar um ovo na calçada ou no asfalto?“. É um livro para pessoas curiosas mesmo. Separei alguns trechos para vocês terem uma idéia:

“Na França, comi manteiga mais saborosa. O que a torna tão diferente? Mais gordura. A manteiga comercial tem 80% a 82% de gordura de leite (…) enquanto a maior parte das manteigas europeias contém um mínimo de 82%, ou até 84%. (…)”

“O arroto contribui para o aquecimento global? Não ria. É uma boa pergunta. Tão boa que eu mesmo pensei nisso quando fiquei sabendo que 15,2 bilhões de galões de refrigerantes (…) foram consumidos em 1999 nos Estados Unidos. E o que você acha que aconteceu a todo o gás carbônico nessas bebidas ? Acabou sendo liberada para a atmosfera pela respiração e por eructação – arroto, para falar claro. (…)”

“Por que não se deve pôr metal num forno de micro-ondas? A luz se reflete em espelhos; as micro-ondas se refletem em metais. Se o que você puser no forno refletir de volta um excesso de micro-ondas, em vez de absorvê-las, o tubo de magnétron poderá ser danificado. (…)” 

Ficaram curiosos em saber se é possível cozinhar o ovo no asfalto ? A resposta é não, mas no teto de uma caminhonete sim!

O que Einstein disse ao seu cozinheiro – a ciência na cozinha. Robert L. Wolke, 2002, editora Zahar.

Bolo cítrico

Como prometido (embora atrasado): bolo cítrico da bíblia da Dona Benta. Na verdade o bolo do livro é apenas de limão, mas como queria dar um toquezinho a mais e tinha algumas bergamotas sobrando …

200g de manteiga em temperatura ambiente
2 xícaras de chá de açúcar
4 ovos
3 xícaras de chá de farinha de trigo
1/2 colher de chá de sal
2 colheres de chá de fermento
1/2 xícara de chá de leite
2 colheres de sopa de suco de limão
raspas da casca de 1/2 limão
raspas da casca de 1 bergamota

A receita original pede que unte duas formas de bolo inglês de 25x10cm (como a da foto), mas adapte as formas que possui. Eu na verdade fiz apenas meia receita, rendeu apenas a forma da foto mesmo. Misture em uma xícara o leite e o suco de limão, reserve. Em outro recipiente peneire a farinha, o sal e o fermento. Na batedeira bata o açúcar e a manteiga até que fique uma mistura bem cremosa, quando isso acontecer vá acrescentando os ovos um a um, batendo bem após cada adição. Devagarinho, vá batendo junto um pouco da mistura de farinha, um pouco da mistura do leite, um pouco da mistura de farinha, um pouco da mistura do leite … e assim vai até terminar. Despeje na forma e asse em fogo baixo/médio por uns 40 minutos. Si degusti!

Salada de fusilli [bem verão, embora não seja verão]

Ficou ótima! Muito boa como refeição única e perfeita se comer com algum peixe. Não tinha nenhum peixe fresco em casa, mas tinha atum em óleo defumado, casou muito bem! O principal elo foi definitivamente o limão, ele que trouxe o frescor, que combina com peixes, ele que ligou tudo. A receita será repetida muitas vezes com certeza. 

3 xícaras de chá de fusilli cozido e frio
1 xícara de chá de alho poró picado
1/2 xícara de chá de salsa picada
1 xícara de chá de parmesão ralado na hora
suco de 1/2 limão
6 colheres de sopa de azeite de oliva
sal e pimenta a gosto

Misture todos ingredientes, faça um peixinho para acompanhar e si degusti!