Sobre minha formatura e um escondidinho de aipim

Desde que me conheço por gente eu sabia que entraria em uma universidade e que me formaria em algo. Fez parte do fim da minha infância e do início da minha adolescência, a procura pelo curso dos sonhos e a busca pelo emprego pra custear esse curso. E isso de fato aconteceu. Mas a realidade foi um pouco diferente do que minha cabeça de 13 ou 14 anos imaginava. Pela necessidade, o trabalho veio antes de iniciar a faculdade e desde o início me colocou em um caminho diferente de onde minhas escolhas de curso me levariam. Acabou não sendo o curso que desejei, nem a segunda opção, foi a terceira. E aquela proposta inicial de 5 anos de curso, se transformaram em 13 anos até a chegada do canudo. Meu crescimento profissional estava atrelado aos estudos, mas nunca dependeu de um diploma. Então, por mais feliz que eu esteja com o rumo que minha vida tomou, o valor do diploma pra mim, se tornou inferior do que aquele que almejei há 13 anos atrás. Em hipótese alguma eu me arrependo de algo ou diminuo o valor de uma graduação, o que quero dizer, é que no meu caso, o canudo teve um peso menor. Então na minha cabeça, o dia da minha formatura seria um dia feliz, mas seria apenas uma formatura, não um dos maiores momentos da minha vida. O dia da colação de grau chegou e em meio a tantos abraços e comemorações calorosas, o que senti foi realmente aquilo que esperava.

O que me pegou de surpresa, foi o que passei a sentir depois disso, quando a euforia terminou, quando voltei a minha rotina. Eu sabia o que me esperava após a formatura, mas acho que só agora me dei conta da tamanha liberdade que acabo de ganhar. Seja de tempo, financeira, ou de escolhas. É hora de retomar projetos de vida que estavam engavetados por ter alguma ligação direta ou indireta, com todos esses anos de estudo. Independente da hora, cor ou sabor, chegou o momento de pensar em mudanças.

Pra acompanhar o registro desse momento, resolvi reproduzir o prato daquela noite querida: escondidinho de aipim :)

1kg de aipim
150g de bacon picado
1 cebola pequena picada
2 dentes de alho picados
500g de carne moída
1 pote de requeijão
6 fatias de mussarela
parmesão ralado a gosto
sal, pimenta e cominho a gosto

Cozinhe o aipim na água até ficar bem molinho. Escorra a água, retire os “cordões” e esmague tudo, pode ser com garfo, com um espremedor de batatas, o que for mais fácil. Tempere com sal e reserve. Em uma panela, coloque o bacon e deixe ele fritando em sua própria gordura, quando estiver bem dourado, acrescente a carne, a cebola, o alho, o sal, a pimenta e o cominho. Quando a água da carne secar e tudo estiver bem cozido, retire do fogo e reserve. Agora é só montar. Em uma travessa retangular comece colocando uma camada de aipim, na sequência cubra com a carne, depois espalhe o requeijão sobre a carne, então as fatias de queijo, aí mais uma camada de aipim e finalize com o parmesão ralado. Leve ao forno quente por aproximadamente 30 minutos ou até dourar.

Na foto vocês veem uma porção pequena, mas tinha outro prato escondendo o tamanho do monstro. Essa receita alimenta tranquilamente umas 5 pessoas. Si degusti!
escondidinho-postar

Espetinhos

Tirei essa receita de um vídeo que estava circulando pelo Facebook e resolvi testar. Comicamente, faltou sal e açúcar =D. Mas eu gostei muito, na próxima vez preciso corrigir duas coisas: temperar o abacaxi com um pouco de açúcar e canela antes de montar os espetinhos (ou comprar um abacaxi mais doce), e salgar mais a carne. Esta receita rende seis espetinhos de cada tipo.

Além do teste, aproveitei o feriado passado pra colocar em dia minha prateleira de temperos e fiquei feliz em perceber que não tinha muita coisa excedente, pois tenho o terrível hábito de comprar temperos novos com a ideia de experimentar, acabar não usando (ou usando pouco), e quando me dou conta, já estão vencidos e precisando ser descartados. Palmas pra mim pelo bom uso do que tenho sem deixar de inventar moda na cozinha =D

Espetinho tipo 1
1 peito de frango em cubos
1. 1/2 xícaras de abacaxi em cubos (opcional temperar com açúcar e canela)
1 xícara de molho shoyo
1/2 xícara de açúcar mascaco
1/2 xícara de cebolinha verde picada
sal a gosto (lembre que o shoyo já é bem salgado)

Misturar o frango, o shoyo, o açúcar, a cebolinha e o sal. Deixar marinando na geladeira por 2 horas. Montar os espetinhos intercalando o frango com o abacaxi e grelhar.

Espetinho tipo 2
1 peito de frango em cubos
6 tiras de bacon
1 xícara de molho barbecue
sal e pimenta a gosto

Misturar o frango, o barbecue, o sal e a pimenta. Montar os espetinhos intercalando o bacon com o frango e grelhar.

img_5826-postarimg_5836-postarimg_5842-postar

Torta rápida

Lá pelos anos 90, com menos de 10 anos de idade, eu assistia a um programa na TV Cultura chamado X-Tudo, eu amava aquilo! Eu gostava de todo programa, mas tinha uma parte em especial que eu gostava mais: a hora de cozinhar. Eles ensinavam receitinhas super fáceis para a criançada se arriscar na cozinha (veja aqui). E aparentemente a missão deles foi cumprida, pois foi naquela época e por causa do programa, que eu tive meu primeiro caderno de receitas. Hoje esse caderno já está bem amarelinho e cheio de respingos das aventuras de uma Taís com menos de 10 anos, mas ainda é usado. Foi dele que saiu a jantinha deste último domingo, uma torta rápida!

Para a massa:
1 xícara (chá) de leite
2 ovos
1/3 xícara (chá) de óleo (usei óleo de canola)
3 colheres (sopa) de farinha de trigo
1 colher (chá) de sal
1 colher (sopa) de fermento
opcional: chia e linhaça a gosto

Para o recheio:
5 fatias de presunto picado
5 fatias de mussarela picada
1/2 xícara (chá) de alho poró picado
1 lata de milho

Parmesão e orégano a gosto

Ligue o forno em nível médio para pré aquecer. Bata todos ingredientes da massa no liquidificador e reserve. Agora, em um refratário untado, coloque um pouco de massa, depois recheio e finalize com mais massa. Por último, polvilhe orégano e parmesão sobre a travessa e coloque no forno por cerca de 30 min, ou até a massa dourar. Si degusti!

tortapostar

cadernopostar

Sanduíche quente de frango, peito de peru e requeijão

A ideia era fazer com cream cheese, não requeijão. Mas no fruteira – único lugar que passaria hoje – os cinco potes de cream cheese estavam vencidos, então parti para o plano B, requeijão culinário (este aqui). Funcionou super bem, mas ainda vou repetir a dose com o ingrediente certo. Esta receita serve três comilões ou seis pessoas moderadas :)

6 pães de sua preferência cortados ao meio (francês, cervejinha, integral …)
6 fatias de queijo mussarela
requeijão a gosto (usei cerca de 2 colheres de sopa bem cheias por pão)
2 peitos de frango em cubos
150g de peito de peru picado
1 cebola pequena picada
2 dentes de alho picados
óleo para cozinhar
cebolinha verde picada a gosto
sal e pimenta a gosto

Comece dispondo os pães em uma forma, sobre eles coloque o requeijão e o queijo mussarela, reserve. Ligue o forno em fogo alto e deixe aquecer enquanto você trabalha nos próximos passos.

Pique os ingredientes. Em uma panela quente, coloque um fio de óleo e doure a cebola com o alho. Após, junte o frango, o sal, a pimenta e deixe cozinhar até secar a água do frango, mexendo de vez em quando. Para finalizar o frango, adicione o peito de peru e a cebolinha verde, cozinhe por mais 4 a 5 minutos, retire do fogo e reserve.

Agora basta colocar a forma de pães no forno quente por apenas 3 minutos, o suficiente para o queijo começar a derreter e o pão aquecer. Retire do forno, recheie os sanduíches com o frango e si degusti!

sanduiche

I’m alive!

Hora de retomar o blog!

“Taís, o que aconteceu?! Algum problema??”

Nenhum, felizmente só aconteceram coisas boas! Dois empregos e a reta final de uma graduação fizeram meu limite de atividades estourar. Por mais que eu quisesse abraçar tudo, não teve como, não deu. Hoje, eu ainda estou em jornada dupla, ainda estou deixando algumas atividades de lado, mas ao menos já tenho um canudo na mão, o que me dá uma folga maior. Ainda não tenho a quantidade de tempo que gostaria para o blog, mas se eu ficar esperando por ele, talvez nada mais saia do papel. Então é hora de colocar a mão na massa novamente, sem promessas de fornadas regulares, mas prometendo bons pães a hora que as fornadas saírem.

Dou por aberta a nova temporada do Miei Limoni :)

salsacom borda